Direção de Arte:

A quadra de vôlei é uma inspiração para a arte, suas formas geométricas e cores são as principais bases. Ao buscar referências artísticas, Alfredo Hlito (pintor argentino famoso nas décadas de 40 e 50), trouxe exatamente o que precisávamos: a geometrização e as cores sóbrias.

Ainda que não se caracterize como arte contemporânea, as obras de Hlito absorvem intelectualmente as influências do modernismo de Mondrian, na série “Construcciones” ele usa ritmos e formas sobre grade modular monocromática. 

Aplicando esse conceito em cenário, seria um fundo de cor única, com objetos de cores não vibrantes posicionados de forma aparentemente aleatória, causando certo conforto para os olhos. 

Seguindo a linha modernista de Mondrian, teríamos um “ponto de tensão”. Mondrian produzia seus quadros em blocos, sendo que sempre inseria um ponto que causasse a sensação de “puxar o olhar”, técnica usada em publicidade até hoje.  Esse seria o convidado em cenas de “cabeça falante”.

Como trabalharemos um fundo geométrico e sóbrio, o convidado não será centralizado, seguindo o conceito do quadro “Composição em vermelho, 1921”, o convidado estará à esquerda, sendo o ponto de tensão que chama a atenção dos olhos do espectador.

Os quadros serão compostos, preferencialmente por objetos que caracterizem a personagem em cena, muito além de medalhas, ou objetos óbvios do vôlei, mas preferencialmente objetos pessoais e nesse momentos a paleta será flexível, para que se possa gravar em ambientes importantes para quem estará em cena.

Design Gráfico:

Os quadros de Hlitos são a maior referência para a arte gráfica, sendo suas formas e cores usadas em GC’s, transições, e até mesmo na arte do título.

Montagem:

Inspirado em longas documentais como Paris is Burning e Advanced Style, o documentário terá um ritmo intimista e dinâmico, no intuito de criar uma relação entre espectador e personagem. 

Cada personagem terá um ritmo diferente e isso dependerá da personalidade  do mesmo. Mas todos seguirão o padrão de montagem clássica hollywoodiana, através de ordem cronológica e cortes suaves.

As transições de um assunto à outro, serão marcadas por pequenos clipes, seguindo a ideia de montagem rítmica, que darão o tom de cada assunto abordado ao decorrer do longa.

A montagem pode também se adaptar a cada assunto, por exemplo, ao usar algum conceito da transmissão esportiva no roteiro, pode adaptar isso à montagem, como no caso de uma narração, por exemplo, que pede uma montagem acelerada. A linguagem do esporte ao vivo, é outra grande referência para o ritmo e a cronologia da história.

O Projeto

Pesquisa de Linguagem

Direção de Fotografia:

Os aspectos cinematográficos de "A Era do Peixinho" são vitais para realizar uma representação autêntica da história do vôlei e a sua valorização no Brasil. É importante mostrar não apenas o esporte e as suas histórias mas produzir uma obra que transmita a sua mensagem de forma inovadora e agradável aos olhos. Para isso, as referências que mais carregamos é o documentário "Advanced Style" e a série documental "Chef's Table". 

Movimentos e dinâmica, inerentes do esporte, também estarão presentes na fotografia. Dessa forma, podemos aproximar o espectador dos entrevistados e mantemos o clima descontraído, aumentando a imersão na obra.

 Quanto a qualidade das imagens que tamanho projeto merece, serão utilizados os mais modernos equipamentos cinematográficos disponíveis, como a Sony A7s, preservando alta latitude de luz, fidelidade de cor e o "look" digno de cinema.

O último aspecto é a escolha das lentes. Uma boa seleção de lentes minimiza correções e melhora as imagens. Teremos um conjunto de lentes zoom, pensando na facilidade de aproximar imagens rapidamente sem a necessidade de troca de lentes. Combinando todos esses aspectos, seremos capazes de desenvolver um produto esteticamente profissional e fiel à temática.

aeradopeixinho@gmail.com | Tel. +55 11 961910330

© 2017 A Era do Peixinho

  • Branco Ícone Google+
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon